Curitiba

Miss altônia: polícia faz busca e apreensão em casa de suspeito

Suspeito é morador da cidade e pode ter participação no sumiço da jovem e do empresário

Bruna Zucco é miss Altônia e estudante de Psicologia (Foto: Reprodução)

 

A Polícia Civil de Altônia, no noroeste do Paraná, realizou um mandado de busca e apreensão em duas casas do suspeito de ter envolvimento com o desaparecimento da Miss Altônia, Bruna Zucco, 21 anos, e do empresário Valdir Brito.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Izaías Cordeiro de Lima, o homem suspeito é morador da cidade e pode ter participação no sumiço da jovem e do empresário. Objetos pessoais foram recolhidos na residência do suspeito no dia 29 de março e devem passar por uma perícia para comprovar o envolvimento.

Ainda segundo o delegado, a lei do silêncio impera na cidade e o depoimento das testemunhas não contribuíram para o desenvolvimento da investigação.

Identificação

A previsão é de que a identificação dos corpos encontrados carbonizados em uma caminhonete na zona rural da cidade seja concluída até a próxima sexta-feira (13). Os exames de DNA são realizados no Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.

Prótese

Diego Tomarozzi, namorado de Bruna Zucco, confirmou ao Portal RIC Mais a informação de que a Miss Altônia não possui prótese de silicone. A informação serve como esperança para amigos e familiares, pois de acordo com um laudo preliminar realizado no IML de Umuarama, um dos corpos encontrados carbonizados que seria de uma mulher estava com restos de silicone.

Assista ao vídeo:

Leia também:

Envie seu comentário

Comentários (0)

Presos gravam vídeo dentro da cadeia de Cambé e mostram superlotação

O vídeo gravado por presos mostra as condições da cadeia de Cambé, que deveria abrigar 52 detentos, mas está com 223

(Foto: Reprodução/RICTV)

*Com informações do repórter Vinícius Buganza, da RICTV Londrina

Detentos gravaram um vídeo de dentro da cadeia de Cambé, no norte do Paraná, reclamando da superlotação e das condições de saúde. O local que deveria abrigar 52 presos está com 223, quase quatro vezes mais do que a capacidade.

As imagens feitas com um celular, aparelho que é  proibido dentro das celas, revelam presos amontoados no local. Durante o vídeo, a principal reclamação é a falta de espaço e as condições de saúde dos detentos.

Além disso, algumas alas, como a de presos por crimes sexuais e a feminina, tâm que ficar separadas, reduzindo ainda mais a capacidade de algumas celas.

Dos mais de 200 presos que estão na cadeia de Cambé, 126 já foram condenados e deveriam estar no sistema penitenciário. 

Segundo o delegado Roberto Fernandes, esse é um dos principais entraves, que, se resolvido, reduziria pelo menos 50% da superlotação.

Com a cadeia nessas condições, a maior preocupação é o risco de fuga a qualquer momento.

Veja também:

Envie seu comentário

Comentários (0)

Preso aproveita ausência de escolta, agride médico e foge de ambulância

Dois guardas foram presos com base no Código Penal Militar

Preso fugiu após agredir médico na ambulância (Foto: Ilustrativa/Pixabay)

 

Um detento fugiu de uma ambulância que o transportava para o Hospital Penitenciário, em Bangu, no Rio de Janeiro, durante a quarta-feira (4). O preso teria agredido um médico e aproveitado que o pneu da viatura policial da escolta furou.

O caso aconteceu durante a passagem pela Avenida Brasil, em Realengo, na Zona Oeste. O motorista da ambulância alegou que não percebeu a ausência da viatura policial e seguiu viagem.

Os dois guardas da escolta foram presos com base no Código Penal Militar por “deixar, por culpa, fugir pessoa legalmente presa, confiada à sua guarda ou condução”.

O médico passou por exame de corpo de delito.

Leia também: 

Envie seu comentário

Comentários (0)