Curitiba

Adolescente que morreu em motel entrou escondida em porta-malas

Menina de 15 anos morreu com disparo acidental de revólver de PM, que teria se matado após incidente

Os homens fingiram ser um casal homossexual enquanto as garotas ficavam escondidas no porta-malas do carro (Foto: Divulgação)

*Do R7

Deise da Costa, de 15 anos, entrou escondida no porta-malas do carro no motel Drive-in Vintage, localizado na zona leste de São Paulo, conforme apurou a equipe da RecordTV. A menina e o policial militar Rodrigo Santos Mathias foram mortos a tiros na madrugada do sábado (14). 

Deise e uma amiga, também adolescente, haviam se encontrado com dois homens —um deles era Mathias. Juntos, os quatro decidiram ir até um motel, e por serem menores de idade, as meninas foram no porta-malas do carro, enquanto os rapazes fingiram ser um casal homossexual.

Tiro acidental

No interior do quarto, Deise teria visto a arma de Rodrigo e quis saber se o revólver era de verdade. Segundo relatos, o outro homem no grupo, que sobreviveu, tentou tirar a arma de Deise e atirou acidentalmente contra ela, que morreu no local.

Mathias, então, teria se desesperado e disparado contra si mesmo.

O rapaz que atirou em Deise e a outra adolescente foram encaminhados ao 10º DP da Penha, onde o caso foi registrado.

Disparos chamaram atenção

A PM (Polícia Militar) foi acionada após funcionários do ouvirem tiros dentro de um dos apartamentos no motel. Ao chegarem,  encontraram Deise e Mathias já mortos. Segundo a imprensa da PM, os funcionários disseram aos policiais que teriam visto um homem fugindo com uma arma nas mãos.

Os corpos de Rodrigo Mathias e Deise da Costa já foram retirados do IML Leste pelas famílias durante a madrugada deste domingo (15). Mathias estava com enterro agendado para 9h30 deste domingo (15), em Poá, na Grande São Paulo. A adolescente tinha sepultamento agendado para a manhã deste domingo, em São Paulo. 

Outro homem está preso

A arma usada no crime foi apreendida para perícia e o suspeito encaminhado para carceragem na manhã de sábado. O homem, de 19 anos, foi preso em flagrante e teve sua prisão convertida em preventiva após audiência de custódia na manhã deste domingo (15).

O caso foi registrado como homicídio e suicídio consumado. 

Leia também:

Envie seu comentário

Comentários (0)

Rapaz é preso suspeito de tráfico de drogas do Jardim Tupi em Cambé

Manoel Camargo vulgo “Coquinho”, foi preso suspeito de tráfico de drogas na Rua Dorins

Subtenente do exército suspeito de esquartejar mulher tem prisão prorrogada

O corpo da amante do militar foi encontrado sem cabeça e sem os braços em fevereiro deste ano

Edmilson teria executado a amante para que ela não revelasse o caso dos dois à sua esposa. (Foto: Divulgação)

*Texto Giuli Kuiava

O subtenente do exército Edmilson Souza Lima Júnior, suspeito de matar e esquartejar Alessandra Bartoszewski Silva, 34 anos, vai continuar preso por pelo menos mais 30 dias. A prisão temporária venceria hoje (dia 13) porém o inquérito policial ainda não foi concluído e as investigações continuam. Quem pediu para que a prisão fosse prorrogada foi o delegado titular da Delegacia de Araucária, João Marcelo Renk, que investiga o caso. A justiça aceitou o pedido.

corpo de Alessandra foi encontrado sem cabeça e sem os braços no dia 23 de fevereiro em um matagal em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba. A família tinha registrado o desaparecimento dias antes. Apenas um dos braços foi encontrado posteriormente pela polícia.

Alessandra teve um relacionamento amoroso com o subtenente que é casado. Uma das linhas de investigação apontam para uma possível chantagem amorosa. Alessandra chegou a engravidar dele no ano passado, mas acabou abortando. Não se sabe se por causas naturais, ou se foi forçada a isso.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil confirmou a prorrogação da prisão, mas disse que “outros detalhes não serão fornecidos para não atrapalhar as diligências policiais”.

Leia mais:

 

Envie seu comentário

Comentários (0)